Shyon_de_Áries
Saint Seiya Revolution
-Crônicas de Anúbis-
Baseada na obra original Saint Seiya – Masami Kurumada

Capitulo 09 –O ataque impiedoso do falcão.

Não muito longe da região onde houve o conflito entre Atheros de Cristal e Érigor de Escaravelho,havia um grupo de cavaleiros de bronze recém formados fazendo guarda do local. Eram Kenner de Hidra,que havia sido adversário de Ían de Pégaso no torneio de  graduação, Gil de Lobo e Célio de Peixe-austral,estavam conversando sobre o choque dos golpes que houve no conflito próximo dali.Kenner e Gil estavam de pé olhando para os lados,enquanto que Célio estava sentado numa rocha de frente aos outros dois,mas estava em posição irregular,pois estava de costas para a região que havia o perigo.O vento que estava calmo naquele lugar de repente tornou-se violento agitando todo o local,Kenner e Gil saltaram para trás e mantiveram-se em posição de defesa,olhando para todos os lados e tentando avistar a presença de algum inimigo.Mas algo estava errado, Célio não mais se movia continuou sentado,isso intrigou Gil de Lobo que bravamente perguntou:
 - Não percebeu o perigo Célio,vai mesmo ficar ai sentado?
Célio não respondia e Kenner saltou para onde estava Célio e ao balançar o cavaleiro  pedindo pra se mexesse foi surpreendido.A cabeça de Célio desprendeu-se do corpo e rolou ao chão esguichando muito sangue de seu pescoço,sujando por completo a face e armadura do cavaleiro Kenner de Hidra. Eles não entenderam como foi aquilo,mas sabiam que havia um inimigo por ali.Puseram-se então a olhar todos os lados,mas não conseguiam ver nenhum adversário,então ficaram confusos.De repente Gil tem um calafrio e olha para cima,eis que no ar estava a pairar o impiedoso Dan de Falcão,voando em círculos de maneira serena e que de repente pronunciou-se:
 - Ah então vocês me encontraram? Mas já é tarde de mais,sou o predador dessa caçada e vocês não podem escapar,o destino de todos vocês é a morte.
Kenner abismado por tamanha violência do golpe desferido em Célio fica revoltado e arduamente fala:
 - Desgraçado covarde,é assim que você planeja nos enfrentar,atacou covardemente um de nossos companheiros e ainda fica dando uma de poderoso,é você que será derrotado.
Dan de Falcão então devolve:
 - Não importa quais os métodos que eu tenha que usar para vencer vocês,eu não me importo de ser chamado de covarde,o que conta para mim é a vitoria e não a forma de consegui-la.O coleguinha de vocês morreu facilmente porque não estava preparado para uma guerra violenta como essa e os próximos....Serão vocês!!!
Ao finalizar suas palavras, Dan parte novamente a um ataque,os ventos se agitam outra vez e ele desce em direção a Kenner numa velocidade espantosa,em suas mãos e pés possui um apetrecho em forma de garra muito afiada,capaz de cortar com facilidade qualquer objeto e na tentativa de decaptar Kenner ele investe com toda força nesse ataque.Mas Gil estava a observar tudo,embora fosse apenas um cavaleiro de bronze ele possuía experiência,foi treinado por muito tempo e saberia segurar aquele impacto,queimou seu cosmo rapidamente e utilizou sua técnica Manipulação Elementar,ao posicionar seus braços pra frente enquanto fechava suas mãos,uma grande rocha subiu em frente a Kenner salvando-o do golpe de Dan de Falcão que se chocou diretamente com a rocha gigantesca.A rocha partiu-se em pedacinhos com o impacto e não demorou muito para que Dan saísse do meio dos destroços,a essa altura Kenner já havia se retirado do local e estava a observar o que acontecera.Muita poeira tomava o local mas Dan provocou uma grande ventania com o movimento das asas de sua armadura e a poeira rapidamente desapareceu,passando sua mão como que espanasse o restante de poeira de sua armadura ele fala:
 - Nada mal cavaleiro,conseguiu me impedir de fazer um ataque primordial,mas não pense que uma simples rocha seria capaz de derrotar a mim,eu Dan de Falcão,Necroguardião Beta,detentor da ventania suprema.Meros cavaleiros de bronze não chegam se quer a arranhar minha armadura.
Kenner parte em direção a um ataque direto,com suas garras envenenadas,as hidras são figuras mitológicas capazes de se regenerar diversas vezes após serem cortadas suas partes,além de ter um poderoso veneno mortal em suas garras e não é diferente em sua armadura que possui as mesmas características.Na direção de seus 4 dedos quando em punhos fechados em cada mão saem as garras de hidra com um poderoso veneno para ser usado no ataque.Numa tentativa de ataque direto ,Kenner salta em direção a Dan com seu punho direito posicionado ao ataque que é desferido ao pronunciar seu nome: Colapso de Hidra.Mas Dan não era um adversário qualquer,um ataque direto contra ele não seria capaz de acertá-lo então ele cria apoio e salta muito alto passando por cima de Kenner,chegando rapidamente a uma rocha muito distante de onde estava.Ao perceber que havia falhado em seu ataque Kenner fica impressionado com a agilidade de Dan,ele superou a velocidade do som com muita facilidade,a face de Kenner demonstrava o espanto.Dan então pôs-se a dizer:
 - Com essa velocidade você não deveria ser um cavaleiro de Hidra e sim de tartaruga.
Antes que Kenner pudesse responder qualquer outra coisa,Dan retorna da mesma forma que havia evadido num salto longo e rápido,ao encostar no chão simula que iria fazer um ataque,Kenner tenta acertá-lo com o susto ,mas é em vão,Dan simplesmente parece desaparecer no ar,a velocidade usada era magnífica.Dan havia desaparecido,mas pra onde ele teria ido? 
O poderoso Necroguardião tinha se lançado aos céus outra vez e em posição de caçada circulava rapidamente o local,Gil consegue avistá-lo e informa a Kenner,que rapidamente olha para cima e prepara-se para se defender de qualquer que fosse o ataque de Dan.Antes mesmo que Dan iniciasse seu ataque,Gil resolve fazer uma investida,e executando sua técnica Manipulação Elementar,ele faz os ventos daquele local percorrer numa velocidade muito grande,a ponto de se formar um poderoso tornado que é disparado contra Dan,que até o momento ainda circulava pelo céu.O tornado sobe numa velocidade impressionante e aparentemente,qualquer objeto que tocasse seria destroçado pela violência com que giravam os ventos.Gil estava confiante de que o havia acertado,mas algo intrigante ocorrera.O tornado não foi capaz de acertar Dan que o utilizou como caminho camuflado para atacar,ele desceu por dentro do tornado atingindo violentamente a face de Gil que imediatamente cai ao chão.A força usada naquele golpe foi impressionante.No mesmo instante que Gil foi acertado os ventos param de circular mas Kenner ainda não podia ver o que houve pois muita poeira havia sido gerada naquele instante.Ao ver Gil caído ao chão,Dan o levanta segurando pelo pescoço com sua mão esquerda ,enquanto o socava com seu punho direito.Foram disparados em media uns dez socos e a cada impacto o corpo de Gil perdia forças,pois os socos de Dan eram muito poderosos.A poeira então que já estava quase que por completa desaparecida,permite a visualização do campo de batalha e Kenner pode avistar Dan acertando diversos socos em Gil. Ao ver aquela cena Kenner queima seu cosmo ao mais alto ponto e parte para o ataque com suas garras envenenadas,seria fácil atacar Dan que estava de costas socando o corpo de Gil.Na velocidade do som,Kenner consegue se aproximar de Dan que até o momento parecia não ter visto Kenner se movimentar,quando o golpe foi desferido na forma de punho fechado com suas garras estiradas afim de atravessar as costas do adversário,algo inusitado ocorre.Dan simplesmente larga o corpo de Gil e salta aos céus outra vez,ao invés de acertar o impiedoso Necroguardião,quem foi acertado pela garra venenosa de Hidra foi Gil de Lobo.Seu peito foi atravessado e o veneno da Hidra rapidamente se espalhou por sua circulação,Kenner ficou desesperado ao ver o que aconteceu,retira rapidamente suas garras do peito de Gil,implorando perdão,mas já era tarde de mais,o veneno contido na armadura de Hidra é rápido em sua distribuição,Gil estava em seus últimos segundos de vida,mas antes de morrer ele avisa que seria impossível vencer aquele adversário.Gil então pede para que Kenner fugisse daquele local.
Quando Kenner iria responder alguma coisa,Dan aparece descendo como um torpedo de destruição em cima do corpo caído de Gil,pisando em seu peito e fazendo uma cratera naquele local,enquanto com um olhar perverso observava Kenner e dizia:
 - Você acha mesmo que permitirei que você saia com vida desse local inseto?
Kenner tenta golpear novamente,mas Dan desvia lançando seu corpo para trás,Kenner parte desesperadamente na investida de novos ataques ,tentando atravessar Dan de qualquer forma com suas garras envenenadas,mas Dan consegue com facilidade desviar de todos os golpes,é impressionante a velocidade que Dan possui.De repente ao invés de desviar para trás ele rapidamente desvia seu corpo para trás de Kenner e diz que a batalha já estava decidida.Kenner então com bastante desespero vira-se para trás tentando outra vez golpear Dan,que outra vez desvia de seu golpe e salta para longe.A respiração de Kenner estava acelerada,ele estava enfrentando um caçador poderoso e implacável, sem muito o que fazer,pois todos os golpes que ele tentava não funcionavam.
Dan de Falcão estava no alto de uma rocha,onde o vento balançava seus cabelos e ele estava a observar o aflito Kenner de Hidra,que após conseguir enxergar onde Dan se encontrava vem correndo novamente para atacar.Cansado de apenas desviar,Dan resolve fazer um ataque,mas não diretamente como havia mostrado contra Célio e Gil.Dan posiciona seus dois braços para trás com suas mãos abertas e eleva seu cosmo,quando Kenner estava prestes a golpeá-lo,Dan rapidamente põe seus braços para frente e desfere sua técnica: Resumo de Caçada.Uma poderosa explosão de energia cósmica sai de suas mãos atacando diretamente o corpo de Kenner,o arremessando em linha horizontal para uma distancia muito grande. Alguns segundos se passam e Kenner consegue se levantar em meio à fumaça,o golpe foi acertado em cheio,sua armadura estava completamente trincada,seu corpo muito ferido,por sorte não morreu.
Dan então se pronuncia:
 - Interessante, apesar de você não possuir habilidades o bastante para me atacar, vejo que possui uma boa resistência, o ataque que lhe fiz seria o bastante para destruir toda uma cidade e  você ainda consegue se manter de pé, até que não é tão ruim assim.
Kenner com seu corpo ensangüentado e buscando fôlego para se manter firme, nada pronuncia e apenas observa a face de Dan.Então em seu subconsciente ele pensa:
 - Desgraçado,então esse é o poder de um soldado de Anúbis,eu deveria ter treinado mais,nas condições que estou ,vencer é impossível.
As asas da armadura de Falcão se abrem demonstrando perigo novamente,Dan então arremessa-se ao céu,e outra vez começa a circular como que estivesse a visualizar uma presa numa caçada.Isso deixava Kenner encurralado outra vez,o desespero tomava conta daquele local,Kenner não sabia mais o que fazer,o adversário era poderoso de mais para enfrentar num corpo a corpo.Para aumentar ainda mais a aflição de Kenner,enquanto Dan circulava aquele local pelo ar ele se pronunciava:
 - Como você se sente diante de um predador, Hidra? Deve estar se perguntando para onde correr não é mesmo? Não adianta nem tentar,para qualquer que seja a região que tente fugir eu poderei  seguir e te matar,por isso que retornei  ao ar.
A pressão naquele momento era intensa,Kenner sentiu-se como um verme encurralado numa caçada,mas ainda não desistiu de lutar,então decidido a golpear Dan ele aumenta seu cosmo ao máximo que consegue.Antes mesmo que Kenner atacasse,Dan desce em linha reta numa velocidade admirável,um ataque aéreo de um falcão impiedoso.Com seus pés Dan investe num ataque que assemelhava-se ao falcão ao pegar sua presa,mas de uma forma espantosa Kenner consegue se esquivar,colocando seu braço esquerdo no chão e se abaixando por completo.Dan errou em seu ataque e acaba quase se chocava com um rochedo,mas consegue estabilizar.Dan olha para trás e se admira com a velocidade usada por Kenner naquele momento,mas não temeu,estava confiante em suas habilidades.Kenner então não perde tempo e utiliza sua técnica mais poderosa,com suas pernas e braços abertos em direção ao adversário ele pronuncia sua técnica: Explosão Sinistra. De suas mãos abertas saíram rajadas de energia cósmica de grandiosa proporção na velocidade do som,a aura de seu cosmo de coloração violeta tomou conta do local partindo em direção a Dan de Falcão.A rocha ficou completamente espedaçada e um rastro de destruição provocado pela técnica se expandiu num raio de dez metros.Mas aquele golpe consumiu muita energia de Kenner,que ficou ofegante após a conclusão de sua técnica,um nevoeiro  feito de poeira encobriu o lugar,mas ao cessar do nevoeiro Kenner conseguiu ver que nada restou daquele local onde Dan estava,então sorri e acredita ter vencido a batalha.Mas o perigo ainda estava naquele lugar,de repente,como que uma lança afiada,uma mão atravessa a carne de Kenner,chegando a tocar seus órgãos internos.A dor que Kenner sentia naquele instante era assombrosa,tanto que o paralisou por completo,de sua boca escorria sangue proveniente da perfuração de seus órgãos.Ainda com sua mão atravessando a região de trás das costelas de Kenner,Dan aparece ao lado do cavaleiro que já agonizava e então pronuncia-se:
 - Realmente foi uma boa técnica,mas não o bastante para me atingir,sua velocidade para mim é como que uma tartaruga,tive tempo mais que suficiente para desviar e vir parar atrás de você seu idiota.
Em meio às dores,com um tom de voz estremecido,Kenner não acredita no que houve e apenas diz:
 - Maldito,suas habilidades estão além das minhas,mas não sairá impune do Santuário,logo encontrará um Cavaleiro de prata ou ouro que o derrotará.
Dan devolve:
 - Todos daqui do Santuário são fracos,é vergonhoso que eu Dan de Falcão tenha que enfrentar lixos como vocês,não vai sobrar um cavaleiro vivo,se quer.
Ao finalizar com essas palavras, Dan que estava com sua mão em forma de lança ao atravessar as costelas de Kenner,dessa vez abre sua mão,ainda dentro do corpo do cavaleiro.Ao abrir sua mão dispara um raio cósmico que destrói todos os órgãos internos de Kenner,o levando a óbito imediatamente.De forma impiedosa,haviam sido derrotados naquele local três cavaleiros de bronze por um único adversário.
 Enquanto isso, nos confins do deserto estavam diversos soldados Necroguardiões circulando aquela pequena casa que foi encontrada por Arles de Cruzeiro do Sul e Hitman de Cães de caça. Como os dois haviam contestado ,aquela não era a real localização do palácio de Anúbis,mas era um portal místico que serviria de entrada para o mesmo.Soldados circulavam a região e de repente algo estrondoso aconteceu. O chão começou a tremer de forma impiedosa e a minúscula casa desabou completamente ficando apenas o símbolo místico à mostra,as areias circulavam em grande velocidade,grandes estruturas começaram a se formar,em formato de uma grande Pirâmide surgiu então o gigantesco Palácio  de Anúbis,ele era de pedras da cor das areais com uma longa faixa negra central ao seu redor. Varias torres surgiram ao seu lado e uma Esfinge surgiu em sua frente,da boca da Esfinge brotou um pequeno fluxo de água,criando em seguida um pequeno Lago,era uma visão paradisíaca,um Oasis aparentemente.Os ventos cessaram e os soldados Necroguardiões se colocaram cada um em seu posto,de acordo com sua função.
Novamente no Santuário, após a exterminação dos três cavaleiros de bronze, Dan de Falcão continua a adentrar a região e lá se encontra com corpos  de soldados do santuário dizimados ao chão,alguém havia chegado primeiro que ele e já estava em combate,de repente ele houve uma forte explosão mais adiante de onde estava,não tinha dúvidas,estava ocorrendo um combate,Dan com sua velocidade gigantesca parte em direção ao local e ao chegar depara-se com vários aspirantes enfrentando um de seus aliados.
A pessoa que estava a lutar contra os soldados do santuário era uma mulher, seus cabelos louros corriam até o meio de suas costas, uma pequena franja a encobrir sua testa, olhos azuis,com tons azuis maquiados. Sua pele era clara como a neve,uma aparência ilustre porém enganadora,seu nome é Íris e a beleza que ela continha era equivalente a quantidade de maldade que habitava em seu coração. Sua armadura representava o corpo de uma mulher,trajada em cor prateada quase que por completa,exceto pelas pequenas pedras azuis que se destacavam em seus punhos ,joelhos, ombros e uma de maior tamanho ao centro do peito,pequenas estruturas semelhantes a asas saiam de suas costas. Dan de falcão então inicia um breve dialogo:
 - Não sabia que você também tinha sido enviada ao Santuário Íris de Perséfone,Necroguardiã Beta detentora das...
 - Não precisa ficar dizendo quem sou eu,Dan de Falcão,odeio essas prolongações  de dialogo utilizadas por vocês Necroguardiões Beta,não faço parte dessa classe porque gosto e ainda estou em busca de uma classificação,então por favor evite as delongas.
 - Opa! Foi mal,hehehe,não é meu interesse deixar você estressada,mas eu não sabia que uma terceira pessoa do grupo Beta havia sido enviada,a senhorita Shamira tinha dito que só Érigor e eu estaríamos em frente a invasão,além de nós outros guerreiros do grupo Gama,vejo que houveram mudanças nos planos.
 - Como sempre você fala de mais,mas se quer saber,tudo bem eu falarei. Os planos eram realmente esses,mas como você mesmo pode ver, o grupo enviado fracassou. Érigor de Escaravelho,Sanyo de Coiote,Rágen de víbora e Esdras de Besouro caíram e só resta você,nem se quer os soldados Necroguardiões restaram vivos.
 - Realmente eu não imaginava que Érigor caísse,mas a explosão de cosmos gerada no combate entre ele e um cavaleiro de prata revelou que os dois possuíam a mesma quantidade de poder,foi uma batalha interessante.
 - Pois bem...E você acha que conseguiria derrotar todo o restante dos componentes do Santuário sozinho? Não se preocupe,além de mim Pheneas de Esfinge,Zalla de Camelo e Ychigo de Dromedário também estão vindo.
 - O quê? Zalla,Ychigo e Pheneas estão vindo,mas o que é isso,não seria necessário eles três virem,dizem que eles são os mais poderosos dos Necroguardiões Beta.
 - Exatamente,assim como eu,eles são os outros 3 mais poderosos do grupo Beta,dignos de uma classificação.
 - Deixe de se gloriar Íris,você diz que eu que falo de mais,mas só vi você derrotar soldados rasos do Santuário,enquanto eu já exterminei com facilidade três cavaleiros,vamos deixar de papo furado e vamos continuar a invasão,nenhum adversário deve ficar vivo.
 - Até que enfim vocÊ falou algo que se aproveite,Dan de Falcão.
Os dois abandonam aquele local deixando os vários corpos dizimados ao chão,a aparência dos dois era rude, não demonstravam piedade e certamente seriam adversários perigosos para qualquer cavaleiro de Atena.As batalhas mais terríveis estavam prestes a começar,muito sangue ainda seria derramado em meio a essa Guerra e muitas surpresas estavam se reservando para acontecer.
Fim do capitulo.
erun:y� g � < ��) ȴ) as quem é o desgraçado que está aí,apareça agora!!!

Surge acima de algumas rochas destronadas o cavaleiro de prata Arles de Cruzeiro do Sul,que salta em direção ao corpo de Atheros e constata sua morte,Arles então observa todo o campo de batalha destruído pela gigantesca capacidade de poder que havia nos combatentes.Érigor então inicia um breve comentário:
 - Eu avisei a esse verme que ele não poderia me derrotar,ele não acreditou e veja só no que deu.Agora você mais um cavaleiro de prata para me enfrentar,espero que você tenha pelo menos a quantidade de poder que ele teve ou não vai durar um segundo vivo.
Dizendo isso Érigor dispara sua Erupção Infernal contra Arles,que se envolve em sua barreira mística de proteção,as chamas de Érigor são espalhadas e não tocam o cavaleiro.Arles então pronuncia-se:
 - É difícil calcular a diferença entre meus poderes e os poderes de Atheros,afinal ele sempre foi um cavaleiro exemplar,mas não será necessário enfrentar você Necroguardião,você já está derrotado há um tempo,admiro sua perseverança em combate,que lhe permitiu ficar de pé mais alguns instantes,mas a batalha foi encerrada quando seu corpo foi atingido pela Aurora Boreal de Atheros.
Érigor assustado então responde:
 - Mas do que você está falando,como eu poderia estar derrotado se ainda estou de pé e ainda pude lhe atacar,deixe de falar bobagens e lute seu idiota.
Arles dá as costas e finaliza dizendo:
 - Idiotice mesmo foi você pensar que poderia derrotar facilmente um cavaleiro de Athena.
Atheros de retira do local e uma cena espantosa ocorre,em diversas regiões do corpo de Érigor surgem fendas de dentro pra fora,cortes assombrosos começam a se abrir ,seu sangue é rapidamente expelido de todas as fendas junto a uma luz colorida resultante da Aurora Boreal.Num grito agonizante de dor, o Necroguardião Érigor de Escaravelho desfalece ao chão,ainda reluzindo a técnica de Atheros que saia de seu corpo em vários cortes profundos.
Encerra-se por definitivo aquele combate e Atheros tinha razão,ou os dois lutariam sem haver resultado ou morreriam os dois,foi um conflito magnífico e cada um representou o poder de seu exercito muito bem,esse foi apenas um dos impressionantes conflitos que ainda estavam por vir durante essa guerra sangrenta.


Fim do capitulo.
Shyon_de_Áries
Saint Seiya Revolution
-Crônicas de Anúbis-
Baseada na obra original Saint Seiya – Masami Kurumada

Capitulo 08 –Zero absoluto vs Chamas infernais.     

Ao estarem frente à frente, Atheros de Cristal e Érigor de Escaravelho,os dois observavam fixamente um ao outro,alguns instantes de silencio se passam até que finalmente Érigor inicia o diálogo:
 - Parece que finalmente iremos terminar o que nós começamos naquele dia,cavaleiro de Cristal.
 - Aguardei ansiosamente esse dia chegar,Necroguardião de Escaravelho.
 - Espero que já tenha se despedido desse mundo,cavaleiro,pois após enfrentar as minhas chamas infernais novamente não haverá condições de você sobreviver.
 - Suas chamas não passam de meras faíscas, Se pretende realmente vencer esse combate é melhor lutar a sério Érigor.
Uma camada de ar frio cerca o local,com fração de segundos aquela região começa ter seu solo congelado,as rochas tornam se maiores decorrentes à camada de gelo que surgira em cima delas.Atheros estava elevando seu cosmo para começarem a batalha mortal,seus olhos ainda fixados em Érigor,um cavaleiro de prata experiente,estava convicto do que tinha que fazer,seus punhos então se fecharam e este estava a preparar seu ataque.Ao ver tamanha destreza,Érigor como representante dos Necroguardiões da categoria Beta resolve também mostrar para que ele estava ali.Seu cosmo agressivo se eleva e ao redor de seu corpo surgem as chamas que ele tanto preza,derretendo com facilidade parte do gelo que havia formado ao seu redor,o cenário então tornou-se duplicado em coloração,onde Atheros estava a coloração do cenário era branca num tom azulado,decorrente ao ar frio que ali se encontrava,mas onde o perigoso Érigor estava o local se assemelhava ao Inferno,era um tom vermelho e quente,as chamas subiam aos céus revelando impunidade. 
Érigor inicia o ataque,corre em direção a Atheros,a distancia entre eles não era tão grande por isso conseguiu se aproximar rapidamente,seus punhos revestiam-se com suas chamas,Érigor então salta muito alto chegando rapidamente mais próximo de Atheros e desfere seu golpe conhecido como  Erupção Infernal,sua estratégia foi boa,um ataque poderoso em curta distancia provavelmente dizimaria com facilidade quem o recebesse.Mas o adversário de Érigor era Atheros de Cristal e essa batalha não encerraria tão facilmente.Ao ver as chamas infernais serem direcionadas a ele,Atheros ergue sua mãos aos céus e executa sua técnica Titan Aurora,uma gigantesca tempestade surge de seu corpo indo a todas as direções,uma barreira poderosa de ar frio o envolve não em movimento de defesa,mas em movimento de ataque,o conflito de elementos inicia-se mas rapidamente é encerrado pois a quantidade de poderes usados nas execuções das duas técnicas é igual e num empate fabuloso os dois são
Empurrados para trás.O conflito das duas técnicas foi primordial,as duas colorações que antes tomavam o local começavam a se unificar,o gelo havia adentrado à região mais quente e o fogo infernal também havia penetrado a região congelante.Atheros então pronuncia-se:
 - É realmente assim que você planeja me derrotar Érigor?
 - Não fique se achando cavaleiro,eu estava apenas me aquecendo,literalmente hehehe.
Atheros então executa inicia um novo ataque,com seu cosmo bastante elevado,ele abre seus braços ,seu braço direito fica inclinado para baixo concentrado poder em sua mão aberta,enquanto que seu braço esquerdo está de próximo a seu rosto,é possível notar com facilidade a quantidade de poder que seria usada ali pois o solo já estava completamente congelado outra vez.Sem perder muito tempo Atheros então trás seu braço direito em posição de ataque e dispara com bastante força seu golpe magnífico conhecido como Execução Aurora,após disparar Atheros usa seu outro punho para impulsionar o golpe com mais força e apoiar a si próprio no combate.Érigor então dispara novamente sua  Erupção infernal,dessa vez com mais força e mais violência,os poderes chocam entre si como da primeira vez que encontraram-se,a região começa a sofrer choques de temperatura novamente. O conflito das duas técnicas provoca abalos na região,o solo começa a tremer com grande proporção.Atheros então pronuncia-se outra vez:
 - Érigor seu idiota,suas chamas jamais serão capaz de conter minha Execução Aurora,nessa técnica é possível chegar ao zero absoluto em termos de temperatura.
 - O que? Zero absoluto?
 - Não sabia que os capachos de Anúbis ficavam surdos com o tempo,sim eu disse zero absoluto. O zero absoluto é a temperatura que o movimento dos átomos cessa completamente,incapacitando qualquer corpo de conter energia.
 - E você acha que com isso será capaz de derrotar a mim,eu Érigor de Escaravelho,detentor das chamas infernais que superam os mil graus? Você só pode estar louco cavaleiro.
Ao dizer isso,Érigor queima muito mais alto seu cosmo fazendo com que seu golpe disparado saia com três vezes mais a intensidade que já se encontrava,superando assim a técnica de Atheros,que rapidamente foi atingido pelas chamas de Érigor e sendo atirado a uma distancia incrível. Atheros cai de bruços,seu corpo sofreu lesões graves,as queimaduras só não o mataram porque seu corpo estava protegido pela poderosa armadura de prata,um homem comum teria até sua alma queimada naquele instante.Seu corpo está fumaçando e ele ainda caído sem conseguir se levantar é pisoteado por Érigor que sem piedade diz que o Cavaleiro não passava de lixo e que aquele combate se encerrava ali.Atheros então é pisoteado mais três vezes até que Érigor o suspende pelos cabelos,e o chama de lixo novamente.Quando Érigor prepara-se para encerrar aquele combate,ele é surpreendido por Atheros que abre seus olhos e diz que Érigor é tolo ao se aproximar tanto do homem que possui  poder o bastante para derrotá-lo.Ao dizer isso em fração de segundos Atheros eleva novamente seus braços ao céu e a técnica poderosa Titan Aurora é desferida,como as rajadas de poder e temperatura são desferidas em todas as direções a  Érigor que estava muito próximo ,não houve como escapar,ele rapidamente foi envolto   por uma tempestade que o fez voar muito alto e cair no chão em forma de bloco,seu corpo já estava todo congelado.Mas não demora muito a algo interessante acontecer,Érigor não havia sido derrotado,apesar que o golpe o machucou bastante ele não se daria por vencido tão facilmente,seu cosmo queima arduamente e um brilho toma seu corpo,o brilho não era normal,eram suas chamas que rapidamente estraçalharam o esquife de gelo que estava segurando seu corpo,Érigor sai com muita raiva e diz que jamais perdoaria um cavaleiro por feri-lo daquela forma.Atheros impressiona-se por ver alguém receber uma de suas melhores técnicas tão de perto ainda conseguir se levantar.Os dois observam-se fixamente novamente,mas já preparam seus cosmos para mais um novo ataque. 
Érigor fica nervoso ,pois sabia que se não fosse a sua capacidade de expelir chamas de proporção infernal,certamente ele teria sido derrotado naquele instante por um descuido que não poderia se repetir.Encostar no Cavaleiro de Cristal novamente seria uma fatalidade,a forma de vencê-lo seria de longe e disparando suas chamas.Seu corpo além de sofrer congelamento foi ferido pelas rochas de gelo que deslizavam sobre seu corpo antes de congelá-lo,foi um golpe poderoso que ele havia recebido,seu cosmo então eleva-se de forma grandiosa e ele sorri sarcasticamente e inicia um rápido dialogo:
 - Atheros,meus parabéns por ter conseguido me ferir dessa forma,mas achar que me derrotaria com um bloco de gelo é idiotice,minhas chamas superam a temperatura dos mil graus,mais que o bastante pra derreter qualquer gelo que você dispare contra mim.
 - É realmente surpreendente que você tenha sido capaz de sobreviver a minha poderosa técnica,que lhe foi aplicada tão de perto.Considere-se um homem de sorte pois ganhou mais alguns minutos de vida,mas não pense que venceu a batalha apenas por isso Érigor.
Ao dizerem isso,os dois elevam seus cosmos a alturas gigantescas novamente e a coloração duplicada de seus elementos se espalha novamente pela paisagem.Atheros parte em direção a Érigor,a velocidade de um cavaleiro de prata supera a velocidade do som e chega quase a atingir a velocidade da luz,são movimentos ágeis e precisos.Atheros corre em direção a Érigor e desfere-lhe um soco à face,mas um Necroguardião daquele não receberia o golpe facilmente e defende usando sua mão esquerda enquanto com grande habilidade usa sua outra mão ao socar a face de Atheros que também de defende.Érigor então tenta atacar usando sua perna direita num golpe rápido,Atheros desprende seus braços e salta para trás de Érigor acertando-lhe com seu cotovelo às costas,Érigor desequilibra e quase cai para frente,só não chega a cair porque Atheros numa velocidade grandiosa aparece em sua frente o socando num gancho em seu queixo que faz o corpo de Érigor voar.Num salto hábil Atheros vai em direção ao corpo projetado de Érigor e o acerta outra vez com cotovelo dessa vez o arremessando em sentido contrario ao Santuário.A velocidade dos golpes de Atheros era impressionante,antes do adversário chegar a um local após receber o golpe ,Atheros já estava lá,Assim ele já aguardava outra vez o corpo de Érigor para desferir outro golpe,mas foi surpreendido quando Érigor aproximara-se de Atheros ele explodiu em chamas incendiando todo o local e impossibilitando a continuação do ataque.Atheros então salta de costas para longe,mas Érigor já estava destinado a atacar,ele toca o chão com a ponta de seu pé esquerdo e cria impulso para atacar,superando a velocidade do cavaleiro de prata dessa vez,Érigor consegue atingir em cheio a face de Atheros que rapidamente foi ao chão,Érigor salta e quando desce vem com seus dois pés para baixo girando numa velocidade impressionante,foi formado então um tornado de fogo que descia em direção a Atheros,em poucos segundos o choque foi inevitável.O impacto daquele golpe foi estarrecedor, abriu uma cratera gigantesca no solo e o corpo de Atheros simplesmente desapareceu,a fumaça negra tomou conta do lugar e chamas irradiavam de todas as direções no solo,o local parecia ter se transformado num pedaço do inferno.Ao ver toda aquela cena e convicto de que havia vencido o combate,Érigor prepara-se para continuar a invasão ao Santuário.Mas ao dar seus primeiros passos algo intrigante acontece,ventos frios cercam novamente o local apagando rapidamente as chamas que brotavam do solo,a velocidade da refrigeração dos ventos foi imensa e de dentro da cratera criada no impacto do tornado de fogo começa a nevar em direção ao céu,Érigor diz que é a primeira vez que vê a Neve desafiar a gravidade.Numa esfera de energia que o circulava por completo,surge Atheros novamente,seu corpo estava muito ferido e sua armadura parcialmente espedaçada,mas seu espírito de combate permanecera o mesmo.
 -Érigor,onde você pensa que vai? Diz o cavaleiro.
 - Impressionante,você é bem mais durão do que apresenta,Atheros.Mas veja só você,foi acertado em cheio por meu poderoso golpe que quase o matou,não conseguira ficar de pé por muito tempo.
 - Realmente a proporção de força de seu ataque foi bem melhor dessa vez e se eu não tivesse elevado meu cosmo ao Maximo certamente eu haveria morrido.Mas  você não está enfrentando um cavaleiro qualquer.
O solo que antes estava em chamas violentas dessa vez encobre-se com uma grossa camada de gelo e as pernas de Érigor são congeladas,o gelo corre rapidamente seu corpo e tende a congelá-lo por completo,mas ele se livra novamente do gelo queimando seu cosmo e usando suas chamas,dizendo que aquele gelo não o derrotaria.Mas de repente Atheros já encontra-se frente a frente com ele e diz que foi tempo o bastante pra atrasar os movimentos de Érigor.Atheros então soqueia duplamente os dois lados do rosto de Érigor,seus punhos fechados bateram violentamente aquela face que ficou em meio aos dois socos,Atheros retira seus punhos e num outro movimento rápido golpeia outra vez de forma dupla com socos a região do abdômen de Érigor que ajoelha de dor.Atheros então salta e chuta a face de Érigor que é arremessado ao ar.Com seu corpo ainda flutuando,Érigor agora é acertado pela Execução Aurora de Atheros que o congela por completo criando uma grande montanha de gelo.Demoram-se poucos segundos até que a poderosa montanha de gelo se desfaz,deixando a vista o corpo de Érigor novamente,suas chamas violentas outra vez o livraram da morte congelante,mas seus ferimentos aumentaram e sua armadura havia sido vitima de um choque térmico de temperaturas,quebrando quase que por completo.Numa respiração ofegante Érigor observa fixamente a face de Atheros que também o observa.A batalha ainda duraria mais alguns instantes até ser finalmente decidida.
Após retomar fôlego ,Érigor fica bastante revoltado ao ver sua armadura te se desintegrado daquela forma,informando que agora o seu verdadeiro poder seria revelado.Atheros diz que aquela batalha já estava prestes a terminar e apenas um deles sairia vivo dali.Érigor então salta muito alto,dando a impressão até mesmo de que estava a voar,ao atingir boa altura inicia suas chamas terrivelmente outra vez,mas dessa vez o poder utilizado parecia ser dez vezes maior do que em qualquer outro golpe aplicado até então.Atheros então imagina que o mesmo golpe que quase o abateu seria desferido outra vez e já se prepara para uma defesa e um rápido contra-ataque.Mas o golpe a ser desferido não parecia mais ser o mesmo,pois Érigor não descia no turbilhão novamente, ao invés disso ele estava a flutuar no céu e uma esfera composta de suas chamas infernais o circulavam,era como que uma pequena estrela a exibir-se no ar.Érigor então pronuncia-se do centro da esfera de chamas:
 - Dessa vez irei destruir toda essa região que estamos lutando cavaleiro e você certamente não sobreviverá,prepare-se para conhecer o ataque capaz de destronar toda uma nação.
 Érigor então parece desaparecer em meio a todas aquelas chamas,pois a freqüência que elas aumentaram foi espantosa,a esfera aumentava seu tamanho muito rápido e de repente um brilho vindo de seu interior ativou o mecanismo de destruição. Daquela esfera flamejante começaram a sair diversas rajadas de fogo,imitando uma chuva de meteoros que caiam em todas as direções,o espaço entre uma rajada e outra era demasiado curto,apenas um metro de distancia entre uma e outra e desciam rápido de mais,destruindo tudo aquilo que tocavam,os impactos no solo provocavam choques violentos fazendo o solo estremecer,Érigor chamou aquele golpe violento de Tormenta Demoníaca.Atheros para se proteger utilizou outra vez sua técnica Titan Aurora que disparava rajadas de energia cósmica e gelo ao mesmo tempo em todas as direções,os golpes colidiam um com o outro e mais uma vez parecia criar uma guerra de mil dias,o choque entre os golpes criou um barulho terrível que imitava os trovões,foi uma cena apocalíptica.Aquela cena durou alguns minutos, o impacto entre os dois golpes foi intenso o bastante pra criar uma grande explosão que foi potente o bastante para criar uma cratera gigantesca naquele local.A cratera tinha  pelo menos mil metros de diâmetro,fazendo tudo que ali estava desaparecer,restaram apenas os corpos dos dois combatentes,que nesse instante flutuavam completamente feridos.Os dois estavam sem armaduras,pois o choque de temperaturas destronou por completo a resistência de suas poderosas armaduras,havia sido um combate mortal terrível,jamais presenciado até então por nenhum dos dois.
Atheros em um tom bem baixo pronuncia-se:
 - Então esse é o efeito de uma guerra de mil dias,onde dois guerreiros de mesmo poder se enfrentam sem fim,não imaginava que fosse tão terrível.
Érigor responde na mesma altura de voz,mas num tom sarcástico:
 - O que é que você está falando? Só existe guerra de mil dias quando os cosmos são de mesma altura,o que não é nosso caso já que eu sou mais poderoso que você.
Os olhos de Atheros que estavam fechados após a explosão então se abrem  e ele queima seu cosmo mais uma vez,seu corpo está muito ferido mas mesmo ao sentir tamanha dor ele prepara outro ataque,ao assumir postura de pé ainda flutuando em meio aos destroços do combate.Érigor também se posiciona para outra investida,ele diz que seus ferimentos são superficiais,nada grave,que poderia vencer facilmente aquele combate em mais um golpe.
Na imensidão do ar ao redor daquele campo de batalha surge uma névoa de diversas cores que se contorcia conforme a leve brisa pairava sobre a região.Era como um arco-íris descontrolado que envolvia o local,Érigor se assusta com o que vê e pergunta o que está acontecendo e rapidamente Atheros o responde:
 - Esse é o fenômeno físico que ocorre na transgressão da luz sobre o ar gelado, podendo ser visto todas as noites no ártico e é também o golpe que vai encerrar essa batalha.
Atheros então posiciona seus braços em cruz com suas mãos abertas,a névoa colorida começa a se agitar com maior velocidade,assustando Érigor,que determinado a não perder o combate  dispara seu ataque outra vez, a Erupção Infernal,que rapidamente acerta o corpo de Atheros que não teve tempo de se defender.Seu peito foi atravessado pelo golpe de Érigor e rapidamente escorreu sangue de sua boca,o cavaleiro estava prestes a ser finalizado,mas mesmo após receber aquele golpe ele não saiu de sua posição de ataque e isso intrigou Érigor:
 - Como pode ainda estar de pé após ser perfurado com minha poderosa técnica?
Atheros o responde que mesmo que sua vida fosse ceifada ele não poderia deixar passar por ele um homem tão arrogante e prepotente. Ao dizer isso, Atheros ergue seus braços em direção a Érigor e pronuncia o nome de sua ultima técnica, Aurora Boreal. A névoa que circulava aquela região toma forma destrutiva e acerta em cheio por todas as direções o corpo de Érigor que nem se quer acreditava que aquilo era possível.Toda a névoa formou-se em rajadas de energia cósmica e ao colidir com o Necroguardião explodiram num feixe de luz branca.Ao ver que o golpe havia acertado seu adversário,Atheros que já encontrava-se sem condições de continuar queimando cosmo cai ao chão e observa atentamente a paisagem destruída,dando seus últimos suspiros ele pronuncia também as suas ultimas palavras:
 - Quando dois guerreiros possuem a mesma capacidade e limitação de cosmo e disputam um combate,apenas duas coisas podem acontecer,ou uma guerra de mil dias sem jamais haver resultado,ou certamente os dois morrerão.
Atheros fecha seus olhos e seu cosmo desaparece definitivamente, havia morrido naquele instante o poderoso cavaleiro de prata Atheros de Cristal,aquele que era conhecido por ser especialista em técnicas de gelo,um leal cavaleiro de Athena que lutou até o fim por seus ideais,por aquilo que acreditava ser o correto,um exemplar de um verdadeiro guerreiro.
Mas da explosão gerada no impacto da Aurora Boreal saia bastante vapor e no meio daquela densa nuvem estava Érigor ainda de pé,muito chateado com o que havia ocorrido com ele naquele ataque sinistro,mas ao ver o corpo de Atheros ao chão ele retira sua raiva e começa a rir e em seguida fala:
 - Guerra de mil dias??? Há-ha-ha-ha ,você so poderia estar brincando verme,eu lhe disse que eu seria o vencedor desse combate,teria sido melhor deixar que eu derrotasse o cavaleiro de ouro que estava aqui e você tivesse ficado vivo mais alguns instantes.
Uma voz então o responde em tom tranqüilo:
 - Voce acha mesmo que seria capaz de enfrentar um cavaleiro de ouro?
 - Mas quem é o desgraçado que está aí,apareça agora!!!
Surge acima de algumas rochas destronadas o cavaleiro de prata Arles de Cruzeiro do Sul,que salta em direção ao corpo de Atheros e constata sua morte,Arles então observa todo o campo de batalha destruído pela gigantesca capacidade de poder que havia nos combatentes.Érigor então inicia um breve comentário:
 - Eu avisei a esse verme que ele não poderia me derrotar,ele não acreditou e veja só no que deu.Agora você mais um cavaleiro de prata para me enfrentar,espero que você tenha pelo menos a quantidade de poder que ele teve ou não vai durar um segundo vivo.
Dizendo isso Érigor dispara sua Erupção Infernal contra Arles,que se envolve em sua barreira mística de proteção,as chamas de Érigor são espalhadas e não tocam o cavaleiro.Arles então pronuncia-se:
 - É difícil calcular a diferença entre meus poderes e os poderes de Atheros,afinal ele sempre foi um cavaleiro exemplar,mas não será necessário enfrentar você Necroguardião,você já está derrotado há um tempo,admiro sua perseverança em combate,que lhe permitiu ficar de pé mais alguns instantes,mas a batalha foi encerrada quando seu corpo foi atingido pela Aurora Boreal de Atheros.
Érigor assustado então responde:
 - Mas do que você está falando,como eu poderia estar derrotado se ainda estou de pé e ainda pude lhe atacar,deixe de falar bobagens e lute seu idiota.
Arles dá as costas e finaliza dizendo:
 - Idiotice mesmo foi você pensar que poderia derrotar facilmente um cavaleiro de Athena.
Atheros de retira do local e uma cena espantosa ocorre,em diversas regiões do corpo de Érigor surgem fendas de dentro pra fora,cortes assombrosos começam a se abrir ,seu sangue é rapidamente expelido de todas as fendas junto a uma luz colorida resultante da Aurora Boreal.Num grito agonizante de dor, o Necroguardião Érigor de Escaravelho desfalece ao chão,ainda reluzindo a técnica de Atheros que saia de seu corpo em vários cortes profundos.
Encerra-se por definitivo aquele combate e Atheros tinha razão,ou os dois lutariam sem haver resultado ou morreriam os dois,foi um conflito magnífico e cada um representou o poder de seu exercito muito bem,esse foi apenas um dos impressionantes conflitos que ainda estavam por vir durante essa guerra sangrenta.


Fim do capitulo.
Shyon_de_Áries
Saint Seiya Revolution
-Crônicas de Anúbis-
Baseada na obra original Saint Seiya – Masami Kurumada

Capitulo 07 – Laços de Amizade. A coragem do cavaleiro de Urso.

A essa altura,pelo caminho onde passaram Esdras e Dan,eles mataram os poucos aspirantes que não haviam se tornados cavaleiros e mantinham-se firmes como guardas do Santuário,dizendo que todos ali não eram mais que um bando de fracos em seus caminhos,Dan de Falcão gostava de matar seus adversários arrancando suas cabeças.Foram esses guardas do Santuário que serviram como contra-tempo e não permitiram o avanço rápido dos dois Necroguardiões rapidamente,então eles sentem o cosmo de Ían que se aproximava,Esdras então pergunta como era possível aquele cavaleiro ter derrotado um de seus companheiros.Dan então diz que se tivessem apostado ele teria perdido ,e num sorriso sarcástico ceifa a vida de um guarda do Santuário que estava sendo degolado por ele naquele momento.Ían observa a cena de terror pelo caminho ,encontrando pessoas decapitadas por Dan ou com seus ossos esmagados por Esdras,de repente ele salta muito alto sobre uma rocha e cai em frente aos dois,o movimento executado por Ían é impressionante,pois quando ele toca o chão com seus pés já desfere seu golpe Meteoros de Pégaso naqueles dois,Esdras então defende usando seu escudo outra vez,Ían não entende como aquele escudo conseguiu conter duas vezes o seu ataque,então Esdras informa que aquele escudo foi criado a partir dos fragmentos metálicos  de um meteoro,encontrados no rio Nilo.Era esse o mais poderoso escudo dentre todos os Necroguardiões.Esdras então diz que Dan poderia dar continuidade no caminho e que Ían não seria obstáculo muito demorado,ele já havia sido envenenado pelos golpes de Rágen e seu corpo já estava muito machucado,Esdras diz ainda que Ían deve ter vencido a batalha por pura sorte.Dan concorda com as informações e continua o caminho,Ían salta para golpear Dan de Falcão,mas Esdras interfere colocando seu escudo na frente para defender do golpe de Ían e em seguida contra-ataca com um chute implacável que atinge o pescoço de Ían,o arremessando a uma distancia incrível.Dan olha para trás e confiante diz que Esdras não perderia aquele combate,sem demorar muito logo ele desaparece na estrada,atingindo longas distancias.Ían se levanta,porém o golpe que recebeu foi de força impressionante,como alguém poderia ter tanta força nos pés? Ían então percebe a duplicidade do revestimento da armadura nos pés e nas mas de Esdras,supõe então que aquilo serviria como apoio para o guerreiro e dobraria a intensidade de seus ataques,Esdras então tinha poderosas armas de ataque e um escudo invencível,a luta dessa vez seria ainda pior.

Mas mesmo com todo esse arsenal,Esdras não era capaz de colocar medo em Ían que novamente se prepara para um novo ataque,parte em contra partida em direção a Esdras com golpes diretos,ele tenta socar diversas vezes a face de Esdras que apenas desvia impulsionando seu corpo para trás,são várias as tentativas de Ían,mas nenhuma surte efeito,Esdras então defende um soco de Ían que quase o acerta,usando novamente seu escudo,a intensidade que Ían ataca é tão poderosa,que ao colidir seu punho com o escudo quebra por completo os ossos do punho,sentindo muita dor ele cessa os ataques e quase se ajoelha de tanta dor.Esdras então não perde tempo e golpeia Ían usando o escudo,batendo com força no rosto do cavaleiro,Ían cai ao chão,Esdras tenta pisoteá-lo mas Ían ainda consciente consegue rolar e se esquivar do ataque,um rápido dialogo se inicia a partir de Esdras:
 - Nada mal Pégaso, ainda tem forças para se defender.Mas o que poderá fazer com seu punho quebrado?
 - Mesmo que eu quebrasse todos os meus ossos eu jamais desistiria de lutar contra você ou qualquer adversário maldito.
 - Admiro sua força de vontade cavaleiro,mas continuar em uma luta que não se pode vencer é loucura.
 - Chame como você quiser,jamais abandonaria esse combate.
Esdras então abre seus braços e pernas e queima arduamente seu cosmo,Ían também eleva seu cosmo com objetivo de rebater aquele ataque que estava por vir,mas com seu punho direito quebrado ele estava em desvantagem.Esdras então cria em seus punhos uma esfera de energia de luz negra,dispara contra Ían pronunciando o nome daquela técnica poderosa: Gigante esmagador. Ao ver que tratava-se de um golpe concentrado em um único ponto Ían dispara seu cometa de Pégaso e consegue criar um conflito de poderes por alguns instantes,mas o cosmo de Esdras naquele momento era maior  e o punho danificado de Ían o deixava definitivamente em desvantagem,os olhos de Esdras se fecharam,mantiveram-se assim por dois segundos e quando se abriram Esdras deu um grito muito alto e aumentou a intensidade de seu ataque que rapidamente superou o Cometa de Pégaso e atingiu diretamente o cavaleiro,o local foi alvo de uma gigantesca explosão.Esdras então sorri,como que já tivesse vencido aquele combate,mas ao cessar a fumaça,Esdras se surpreende ao ver Ían ainda de pé,mas na era só ele que estava ali,havia chegado outro cavaleiro de bronze,Henzo de Urso,que conseguiu deter o ataque de Esdras usando seu pequeno escudo em seu braço esquerdo. O escudo trincou imediatamente e Henzo ficou admirável por tamanha violência do golpe do inimigo,então conversou com Ían:
 - Pode deixar Ían,eu enfrentarei esse cara,você já fez muito ao derrotar aquele outro.
 - Não vou deixar você derrotar esse monstro sozinho,veja só o que ele já conseguiu fazer com seu escudo em um único golpe.
 - É...Isso mostra que ele é bem forte,mas vai ser bom pra testar minhas habilidades,descanse um pouco e deixe que eu seguro a onda daqui pra frente.
Esdras então sorri e diz que acha bonito o gesto de Henzo em resolver arriscar sua vida para proteger seu amigo. Henzo então responde que isso é o que os amigos fazem uns pelos outros.Ao dizer isso já eleva seu cosmo e prepara-se para atacar Esdras,que também já se pões a queimar seu cosmo.Henzo então assume postura de ataque e dispara um golpe de grandiosa magnitude,de seus punhos uma forte luz começa a surgir,com coloração azul e ganha tamanho rapidamente,em seguida é disparada na velocidade do som contra Esdras,Henzo chama esse golpe de Impacto Fulminante. Esdras coloca seu escudo para defender o poderoso ataque,que apesar de não conseguir se quer arranhar o poderoso escudo,consegue oprimir em pequena escala o corpo de Esdras o forçando a dar dois passos para trás.Isso deixa Esdras ansioso para ver qual o poder que aquele cavaleiro tinha.Esdras então eleva ainda mais seu cosmo e num movimento ágil com seu braço usando o escudo ele consegue redirecionar o golpe de Henzo para o alto,assim ele estava capacitado a atacar novamente,no entanto após fazer esse rápido movimento ele não mais vê Henzo,Henzo havia simplesmente desaparecido,quando deu-se por conta do que se passava,Henzo já estava por trás de Esdras que ao abraça por trás rapidamente e contorce seu corpo com muita velocidade,jogando Esdras ao solo. Isso faz uma grande cratera e Henzo salta para trás para verificar a capacidade de seu golpe,mas que pelo visto foi ineficaz ,de dentro da cratera criada no ataque de Henzo,surge uma luz cósmica de coloração negra,exatamente da cor da armadura de Esdras de Besouro,essa luz é emanada por exatos três segundos e em seguida Esdras sai da cratera numa explosão de rochas ,vários pedaços de rocha voam em diversas direções e Esdras já toca o solo com sua posição de ataque,como já havia queimado bastante cosmo,abre seus braços e pernas e novamente desfere seu golpe Gigante Esmagador,Henzo tenta novamente se proteger usando seu escudo,mas dessa vez o ataque é muito mais violento e o escudo já estava trincado,então o escudo se desintegra completamente,atingindo dessa vez o corpo de Henzo o arremessando para muito longe. Ían se revolta com a cena e parte para socar a face de Esdras,que se defende rapidamente usando seu braço direito,para conter o soco e ainda arremessar Ían ao mesmo local que estava Henzo.Esdras sorri e diz que seria algo interessante matar aqueles dois no mesmo lugar.Apesar de ser um Necroguardião Gama,Esdras possuía poder para ser comparado aos Necroguardiões Beta,além de sua armadura gigantescamente resistente lhe proporcionar habilidades incontestáveis.
Com seus corpos caídos Henzo e Ían iniciam uma rápida conversa:
 - Eu disse que lutaria com esse cara Ían,por que você entrou no conflito?
 - Veja só você Henzo,foi acertado em cheio pelo golpe desse miserável,seu escudo se transformou em poeira durante o ataque daquele cara.
 - Mas você está com seu punho quebrado,não poderá ajudar em muita coisa,pode deixar que eu vou pegar esse cara.
Após dizerem isso os dois se levantam e Henzo outra vez queima seu cosmo,mas o poderoso Esdras já iniciara outro ataque,com velocidade superior a velocidade do som ele aproxima-se dos dois cavaleiros de bronze e soca os dois ao mesmo tempo em seus abdomens,os fazendo se contorcer de dor.Esdras então executa outro  duplo golpe,dessa vez usando seus cotovelos, jogando os cavaleiros novamente ao chão.Quando os dois estão caídos,Esdras salta muito alto e desce com seus pés em cima de cada cavaleiro, uma seção de tortura para aqueles dois. Cada golpe desferido por Esdras tinha potencia gigantesca, seus punhos e pés duplamente revestidos lhe possibilitavam um reforço dobrado em qualquer que fosse seu ataque, era um adversário a altura dos cavaleiros de prata certamente.

Mas Henzo não se deixa vencer tão facilmente,mesmo após receber aqueles golpes violentos,ele se levanta outra vez,queimando seu cosmo arduamente.Esdras está a apenas dois metros de distancia dos cavaleiros,um erro no ataque e esse poderia ser o último.Elevando seu cosmo cada vez mais,Henzo prepara-se para atacar,mas dessa vez ele tem uma estratégia,não seria um ataque direto.Ían se levanta e Henzo pede para que ele eleve ao máximo seu cosmo,e assim Ían o faz.Quando seus cosmos estavam altamente elevados,Henzo combina em baixo tom a seqüência estratégica que ele bolou.Ían concorda plenamente com a estratégia e juntos partem para o ataque.Os dois correm lado a lado em direção a Esdras,que já se prepara para defender os golpes,mesmo que fossem duplos.Ían adquire mais velocidade passando à frente,atacando diretamente com seus Meteoros de Pégaso,Esdras assume a postura de defesa com seu escudo,os ataques de Ían parecem novamente não fazer feito.Mas quando cessam os meteoros,Henzo surge como que numa névoa bem próximo ao escudo de Esdras,mas ataca Esdras por baixo,já que sua guarda estava despreparada.Henzo consegue acertar em cheio a região abdominal de Esdras que apesar de ser bem resistente sente a dor provocada naquela região,ao ver Esdras quase se ajoelhar ao chão,Henzo segura seu braço esquerdo,exatamente onde localizava-se o escudo indestrutível,o nervosismo então toma conta de Esdras que sem perceber a verdadeira intenção estratégica,usa seu poderoso punho direito na tentativa de golpear Henzo,mas Ían surge novamente retirando o corpo de Henzo.De repente um grande som se espalha pelo ar,o poderoso escudo de Esdras foi trincado,vítima de seu próprio punho destruidor.Não funcionou corretamente a estratégia de Henzo,que pretendia que naquele movimento o escudo fosse completamente destruído,mas se ele trincou significava que sua resistência poderosa tinha reduzido bastante.Esdras ao ver a capacidade de ataque daqueles dois juntos fica nervoso.Pretendendo encerrar de vez aquele combate ele parte para cima dos cavaleiros como uma besta descontrolada.Ían ao ver a posição de ataque de Esdras resolve arriscar uma segunda estratégia,partindo em direção a Esdras,haveria uma colisão entre os corpos daqueles dois,Henzo então entende o que acontece e eleva seu cosmo.A colisão entre os dois acontece,cada um consegue socar a face do outro ao mesmo tempo,mas a força do punho de Esdras duplamente aumentado por influencia de sua armadura é mais violenta arremessando Ían numa muralha,enquanto que ele apenas freou.Mas foi o bastante para Henzo surgir por cima disparando sua melhor técnica,uma chuva de esferas de energia de coloração azul sai do corpo de Henzo partindo em direção a Esdras,chamada então de Onda Poderosa,essa técnica consegue atingir seriamente Esdras,que tenta se defender novamente com seu poderoso escudo,mas já estava trincado e por isso não resistiu a potencia daquele golpe.Esdras foi arremessado a uma boa distancia e onde caiu fez uma destruição muito grande.Ele não demora a se levantar,mas dessas vez as partes da armadura que protegiam seu peitoral e sua cintura estavam danificados,assim também como seu elmo que havia saído de sua cabeça e seu escudo que foi completamente despedaçado.Da armadura de Esdras só restava o duplo revestimento de seus punhos e pés.

Ele ficou espantado pela forma que aqueles dois meros cavaleiros de bronze conseguiram danificar quase que por completo sua armadura de Besouro que ele se orgulhava por ser muito resistente,prepara-se então para mais um ataque,assume a postura de braços e pernas abertas e queima seu cosmo ,disparando contra os dois cavaleiros novamente sua poderosa técnica Gigante Esmagador,os cavaleiros de bronze já não possuem mais forças para continuar atacando e como gastaram toda a energia que lhes restavam em seus dois últimos golpes,não conseguiram se mover,era o fim daqueles dois diante daquela técnica poderosa.

No entanto algo surpreendente acontece.Uma barreira de luz cristalina surge em frente aos cavaleiros de bronze,a técnica de Esdras atinge a barreira e retorna contra ele mesmo,a velocidade de regressão é tão grande que ele não consegue desviar sendo atingido diretamente por seu próprio golpe,Esdras não morreu naquele instante pois usou seus punhos e pés duplamente revestidos como instrumento de defesa,mas dessa vez ele já não tinha mais nada de sua armadura,estava vestindo agora apenas uma calça de tecido com boa elasticidade,sem camisa e completamente desprotegido,a poeira formada naquele instante então cessa e ele consegue ver quem foi o detentor da técnica que quase o matara. Em frente aos cavaleiros de bronze quase desacordados,estava Avan de Áries,cavaleiro de ouro defensor da primeira casa Zodiacal do Santuário.Esdras então pergunta o que Avan estava fazendo ali, por que ele tinha saído de sua casa e se deslocado até aquela região.Avan informa que sentiu vários cosmos desaparecendo muito rápido e que não estava disposto a ver todos os cavaleiros morrerem enquanto ele ficava aguardando o avanço dos adversários até chegarem à sua casa.Esdras sabia que enfrentar um cavaleiro de ouro naquelas circunstancias completamente desprotegido seria algo impossível de fazer,mas é um corajoso adversário e pretende morrer naquele local,ele eleva seu cosmo até o mais alto nível que consegue e salta em direção a Avan para acertá-lo,mas Avan num movimento astuto leva sua mão direita para cima ,em sua mão uma energia brota com gigantesco brilho,ao descer novamente sua mão aberta,uma chuva de energia é disparada em forma de estrelas cadentes em direção a Esdras,Avan ao executar sua técnica pronuncia as palavras: - Revolução Estelar!!!

Esdras rapidamente é envolvida naquela chuva de estrelas cadentes ,percebe que seria impossível sobreviver a aquele ataque,então apenas fecha os olhos e deixa a morte o tocar.Após ser atingido por todos os pontos da Revolução Estelar,Esdras cai com seu corpo repleto de escoriações e já desacordado,morre ali Esdras de Besouro,um poderoso adversário.Avan então segura em cada mão Ían e Henzo e prepara-se para levá-los daquele local para que eles pudessem se recuperar,admitindo que os dois fizeram uma boa luta,mas quando está prestes a se retirar sente um poderoso cosmo se aproximar.Não demora muito e no alto de uma rocha surge com seu cosmo em chamas o poderoso Érigor de Escaravelho,que desafia Avan para o combate,apesar de ser um Necroguardião Beta,Érigor disse que a hierarquia entre eles não possuía sentido complexo e que certamente um dos Beta poderia derrotar um cavaleiro de ouro.Quando Avan está prestes a largar os corpos dos cavaleiros de bronze para lutar,o ar se resfria rapidamente.Chega Atheros de Cristal,cavaleiro de prata que havia confrontado com Érigor no caminho de Esparta.Atheros diz a Avan para continuar e que tinha um caso a resolver com Érigor.Avan então teletransporta-se levando os cavaleiros desacordados para a entrada do Santuário,local máximo que poderia chegar usando tal técnica,pois para subir as doze casas é necessário que se faça a pé, o cosmo de Atena envolve todo o Santuário desde as eras mitológicas,impossibilitando a travessia de outra forma e isso valia também mesmo para aqueles que possuíam poderes extra-sensoriais.


Fim do capitulo.